12/04/2014

GRUA TITÃN

(2012) (Arquivo vídeos históricos)

Nem todas as memórias são felizes. Muitas vezes a realidade é cruel e dolorosa. Deixa marcas! E um sentimento de revolta interior quando há perda de vidas humanas. E mais revoltante se torna quando se chega à conclusão que se podia (e devia!) ter feito mais ao nível da prevenção e segurança! Mas neste país, os valores monetários ainda são mais importantes que os valores humanos!

(2012) Um trabalhador morreu, a 12 de Abril, num incêndio, precedido de uma grande explosão, que deflagrou no molhe Sul do Porto de Leixões, em Matosinhos. O acidente provocou ainda um ferido grave, já transportado para o Hospital S.João, no Porto, e um número indeterminado de feridos ligeiros. O incêndio teve origem na queda de uma peça do guindaste titãn, que estava a ser desmantelado desde o dia 3, sobre o “pipeline” que liga o local de atracagem dos petroleiros a um depósito de armazenamento de combustível da Repsol. O combustível nas condutas não estava cortado enquanto se efectuavam os trabalhos com maquinaria pesada, com faíscas de rebarbadora e calor de maçarico. Uma faísca terá provocado a explosão e consequente incêndio. Uma grua que apoiava a desmontagem do Titã, uma enorme estrutura de arqueologia industrial que a administração portuária decidiu recuperar e mudar de local de implantação, terá também tombado. O local do acidente é referido pela Proteção Civil nacional como Doca 1, uma zona onde decorrem também as obras de construção do edifício de acolhimento do novo terminal de cruzeiros de Leixões.

Sem comentários:

Enviar um comentário